fbpx

Campanha contra aumento de preços do Correios

Neste final do mês de fevereiro, comecei a me deparar com a campanha #FreteAbusivoNão, organizada pelo Mercado Livre contra o Correios. A motivação para tornar esse conflito público é o impacto do aumento do valor do frete nas vendas através do marketplace.

Já que várias pessoas perguntaram minha opinião sobre o assunto, falarei um pouco nesse material.

Vamos ao contexto, o Correios está em crise, financeira e de imagem. Manchetes sobre problemas causados e enfrentados pela empresa estão cada vez mais presentes nos principais veículos de informação. Dentre elas estão: prejuízos, atrasos, fim do e-sedex, aumento de preços, incêndios em unidades, entre outras. Fica evidente a opinião de insatisfação das lojas virtuais e da população, ao ler os comentários nas publicações. São manifestadas posições contra monopólio e a favor da privatização, demora para entregas internacionais, além de outros problemas enfrentados. Isso deixa evidente a crise de imagem!

Quero deixar claro que não estou defendendo, nem acusando o Correios. Apenas analisados os fatos, de forma mais imparcial possível. Talvez a indignação esteja levando as pessoas a não refletirem sobre alguns pontos. Por exemplo, quando ao monopólio do Correios, que é de cartas e correspondências, não de encomendas! O que alerta para uma questão. Por que as pessoas acreditam que existe esse monopólio nos envios para lojas virtuais? Eu respondo essa pergunta com outra pergunta: Quantas transportadoras você conhece que atendem poucos lojas virtuais com volumes em todo território nacional num preço viável?

Existe um vácuo de solução de frete para e-commerce brasileiro, não é à toa. Aproveitando o gancho, também vejo muita gente reclamando sobre o valor do frete, mas.... Será que já fizeram a conta? Não é uma conta muito simples mesmo e quando falamos de uma empresa estatal, já sabemos que os custos são ainda mais inflados! Se fizer os cálculos, considerando regiões ainda mais remotas onde o volume de entregas é pequeno, ficará evidente o tamanho dos custos envolvidos.

Antes que comecem a dizer que estou a favor Correios, ratifico que a ASAP Log oferece soluções substitutas, quero apenas alertar a população a cuidar com o que se diz por aí. Vejo muitas manchetes potencializando situações, distorcendo fatos, comparando com países com contexto completamente diferente, apenas para tirar algum benefício próprio. Um exemplo claro é afirmar "48,90% de aumento no frete", enquanto as letras pequenas explicam que é para envio de um pacte até 500g saindo de São Paulo, sentido Campina Grande. Em muitos casos, nem constam as letras pequenas.

Dito tudo isso, vou trazer à tona a minha reflexão pessoal. Já dizia a sabedoria popular "não adianta dar murro em ponta de faca", acho que se encaixa para este contexto. As lojas, marketplaces e consumidores têm pago por um serviço que não está satisfatório. Essa reclamação não é de hoje! Então me pergunto. Por que insistir em brigar com a ECT ao invés de buscar novas alternativas? Uma mudança resultaria numa auto regulação do mercado!

Por fim, acho que reclamar é fácil, enquanto buscar e apostar em novos modelos de distribuição é mais difícil. Posso falar por mim mesmo, já tentei propor e apresentar modelos testados para alguns marketplaces, mas não houve interesse sequer em ouvir. Acredito que as lojas virtuais e marketplaces que apostarem na inovação sairão na frente e já adianto, não estamos falando de entregas com drones ou robôs!

LEIA TAMBÉM SOBRE

Assine nossa newsletter

Receba novos posts e materiais gratuitos.












Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

vender-pela-internet-com-frete-baratomelhor-envio-black-friday