- ASAP Log - https://asaplog.com.br -

4 Problemas de transporte e como solucioná-los

Problemas logísticos são sentidos pelo cliente final, o que não poderia ser pior para as empresas de e-commerce. Quem trabalha no setor de transportes em lojas virtuais enfrenta alguns problemas de forma recorrente.Entrega last mile

Listamos algumas das principais dificuldades operacionais do dia a dia e como podem ser solucionadas.

1. Atraso

O fluxo de transporte de distribuição (outbound) nasce desde o momento em que o fornecedor entrega os produtos no centro de distribuição da loja virtual. Essa parte do transporte impacta diretamente na entrega last mile [1]. É comum que alguns e-commerces considerem como saldo no estoque produtos em trânsito. Porém quando ocorrem atrasos na entrega no Centro de Distribuição, geralmente também atrasa o frete para o cliente final.

Uma alternativa é repensar compras CIF (cost, insurance e freight), pois nestes casos a transportadora é definida pelo fornecedor. A opção FOB (free on board) permite que seja possível escolher o transportador, podendo ser aquele que já se trabalha e está alinhado em termos de prazo e nível de qualidade SLA - Service Level Agreement.

Nem sempre é viável trabalhar com o FOB, nestes casos uma alternativa é definir estoques de segurança e/ou ainda, aumentar o prazo de entrega.

2. Avaria

Amassados, rasgos, riscos, entre outros danos físicos aos pacotes demonstram para o consumidor descuido com sua aquisição. Infelizmente esse é um problema comum no transporte rodoviário de cargas.

As transportadoras costumam trabalhar com alto volume de cargas. Principalmente no e-commerce, a quantidade de pacotes fracionados de diversos tamanhos e peso é enorme. Por este motivo, buscam velocidade no processo de carregamento, roteirização e descarregamento. Algumas empresas de transporte utilizam os chamados "sorters", equipamentos de automação por onde os pacotes são direcionados para rotas específicas através de esteiras rolantes e leitura de código de barras. Os pacotes são movimentados de forma brusca, muitas vezes com força gravitacional. Além disso, dentro dos veículos existe a busca pela maximização da taxa de ocupação do peso e espaço. Para isso ocorrem os empilhamentos e amarrações, que podem danificar as encomendas. 

É possível minimizar ou até eliminar completamente esse problema! Primeiramente é recomendável avaliar os índices de avarias antes de escolher o prestador de serviços de transporte. Fazer uma visita até uma unidade operacional também é importante para ver na prática como as mercadorias são tratadas. Por outro lado é preciso fazer a lição de casa dentro do centro de distribuição (fulfillment). O acondicionamento em embalagem correta é essencial para garantir a integridade física de um pacote. É fato que um caminhão transporta uma grande quantidade de cargas de tamanhos e pesos variados, as quais são unitizadas (agrupadas) dentro do veículo o máximo possível. A utilização de racks metálicos e caixas plásticas dentro dos caminhões garante menor peso de empilhamento e danos pela amarração nos pacotes.

3. Dados insuficientes/incorretos

Apesar de parecer básico, a falta de informações ou os dados incorretos ainda geram problemas no dia a dia das lojas virtuais.

Muitas vezes o erro nasce na colocação do pedido, integração sistêmica ou durante o processamento.

  • Saldo de estoque: A conhecida divergência entre saldo físico e sistêmico ainda acontece, principalmente nas operações de drop shipping, quando a integração é com a tecnologia sistêmica diferente do fornecedor. A realização de inventários cíclicos reduz a probabilidade de ocorrência desses problemas sem onerar a operação. As auditorias sistêmicas e acompanhamento dos pedidos de compra também contribui para minimização de erros.
  • Endereço destinatário: Basta inverter um número durante a digitação do endereço na colocação do pedido para surgir um problema na entrega. A confirmação ou algum tipo de validação do endereço e solicitação de referência são maneiras de evitar essas situações que geram custo e retrabalho.
  • Nome destinatário: Nem todo comprador é o destinatário, nestes casos, principalmente para entregas em prédios, os porteiros recusam o recebimento por não conhecer o comprador. Incluir um campo para informar o nome do destinatário evita recusa de recebimento, custos e retrabalho.

4. Produto incorreto

Fazer um pedido e receber qualquer coisa diferente do que foi comprado é uma insatisfação sem tamanho para o e-consumidor. A sensação é de ter sido enganado e mesmo que a loja se demonstre interessada em solucionar, já existe um descontentamento, muitas vezes irreversível.

Alguns produtos se assemelham visualmente, porém apresentam consideráveis diferenças internas. Um exemplo claro disso são os notebooks, a carcaça é a mesma, porém existem variações de capacidade de armazenamento, velocidade de processamento, etc. A descrição do produto também pode ser muito similar um do outro, porém apresentando diferenças de cor, tamanho, um bom exemplo são as roupas e sapatos.

Uma forma de solucionar é utilizar código de barras em todos os produtos e trabalhar com o apoio de leitores, coletores de dados e um software com módulo de logística ou ainda um W.M.S. - Warehouse Management System. Muitos sistemas com funções de picking e packing e praticamente todos os WMS contam com um mecanismo Poka Yoke (a prova de erros), pois através da leitura do código de barras o sistema bloqueia a conclusão do processo de separação de um pedido com um item divergente. Pela ação de forma preventiva evita que esse erro prossiga até ser notado somente quando estiver nas mãos do cliente.

Apesar desses problemas serem os mais comuns no meio de logística no comércio eletrônico é preciso entender que cada negócio tem sua particularidade. O tipo de produto, tamanho, peso, valor e outras características impactam diretamente na causa e forma de solução.